Pesquisar Search

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Feliz Ano Novo ENSIL style












ENSIL European Network for School Libraries and Information Literacy

Aproveitar asTIC na biblioteca para crianças e jovens


Conselhos úteis e dois videos expressivos, no site LecturaLab, da Fudación German Sanchez Ruipèrez:
En el ámbito de los servicios bibliotecarios, las bibliotecas infantiles y juveniles han sido uno de los ejemplos más activos de innovación y de renovación constante de espacios y servicios, para configurar en cada momento modelos que se adecuen a las necesidades y las expectativas de sus usuarios (jóvenes, niños, familias y grupos escolares).Hoy en día, estos centros deben ofrecer, junto a su catálogo de fondos y materiales, servicios que ayuden a los lectores a desenvolverse con la creciente diversidad de formatos y dispositivos que la tecnología aporta a la creación y al consumo de contenidos, y actividades, tanto presenciales como en espacios virtuales, en las que las TIC tengan una notable presencia.
Para tanto, precisamos transformar as bibliotecas mais tradicionais em bibliotecas de outro tipo. De clic em clic...

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Discussão pública da reforma curricular


Reforma curricular em Portugal. Discussão Pública até 31 de Janeiro de 2011.
Uma das propostas: " liberdade para a escola na decisão da distribuição da carga horária ao longo dos ciclos e anos de escolaridade" está mesmo logo antes de tabelas com cargas horárias por ano e por disciplina que permitem comparar a situação atual com a proposta do Ministério da Educação.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

BIBLIOTECAR: "MARCO DE REFERÊNCIA PARA LAS BIBLIOTECAS ESCOLARE...

"La inclusión de las redes de bibliotecas escolares en otras de mayor amplitud, como las de los sistemas bibliotecarios autonómicos, conlleva ventajas pero también algunos inconvenientes. Debe tenerse en cuenta la especial especificidad de las bibliotecas escolares, ya que, a diferencia de las bibliotecas públicas, no son una institución en sí mismas, sino que forman parte de una superior que es el centro educativo, y que su principal función es el apoyo curricular. Por tanto, conviene estudiar en cada caso la situación que se puede generar y los beneficios que se pueden obtener para decidir el tipo de relación y colaboración con el resto de bibliotecas de su entorno.
Ante la proliferación de redes institucionales de bibliotecas escolares en las comunidades autónomas, sería deseable la interconexión o comunicación de todas ellas para potenciar y fomentar los intercambios entre centros educativos de todo el Estado español. Es una línea de trabajo en la que el Ministerio de Educación puede coordinar, asesorado y apoyado por las diferentes consejerías y departamentos de educación, en la búsqueda, adaptación o creación de medios que faciliten esta tarea." (Madrid, Abril 2011)

BIBLIOTECAR: "MARCO DE REFERÊNCIA PARA LAS BIBLIOTECAS ESCOLARE...: Acaba de ser publicado um documento de referência para as bibliotecas escolares em Espanha que pode ser acedido aqui . De leitura altamente recomendável.
Coordenado por Ana Isabel Bernal Macaya, Casildo Macías Pereira y Cristina Novoa Fernández

Aguardemos a forma como a Administração Educativa de cada região de Espanha irá desenvolver estas recomendações.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011


"It is a common trap to associate our talent for communicating with our ability to read and write. However, texting is different than cartooning. Audio podcasts are different than video podcasts. Each new form of communications comes with its own unique style and attributes for conveying thoughts and ideas.
Literacy will continue to evolve along with every new system and each form of technology that gets created along the way.
Basic reading and writing forms of communications will no longer be sufficient for the workforce of the future. People will still need to read and write, but they will also need a whole lot more."

E se a sua mesa de leitura ganhasse asas?


Nimble, um video de leitura explícita e realidade aumentada, casando livros em papel e conteúdos e recursos digitais.
A mesa de leitura ganha asas e braços, abandonando o papel passivo de séculos nas práticas de leitura. Haja banda larga...
Um trabalho de S. Kumar, via Paulo Leitão

Nimble shows us how our reading tables can be different, as augmented reality and technology provide them with wings and arms for more reading (also of paper printed books and other documents). Since web access is available...
Video by S. Kumar, through Paulo Leitão.

Folhear um livro digital - 7 títulos para começar

Graças ao Catalivros :), um site janota que tem muito mais que se lhe diga e se lhe agradeça (Projecto Gulbenkian).
Afonso Cruz (texto e ilustração), Caminho (editora)
Um álbum com as contradições em que um rapaz pensa: se a tia gosta do pássaro, porque o prende? Porque é que o vizinho fica feliz ouvindo músicas tristes? Com apenas três cores (o vermelho, o preto e o branco) se ilustra este livro cheio de movimento, detalhes e brincadeiras para conhecer.
António Mota (texto), Rui Castro (ilustração), Gailivro (editora)
Num mundo de fantasia e cheio de humor acontecem situações improváveis, como um rapaz tomar banho num dedal, ajudar as formigas ou ir para a escola no bolso do casaco do pai. Entra nestas páginas como se fosses muito pequenino… e vê como seria.
Manuela Bacelar (texto e ilustração), Afrontamento (editora)
Imagina-te a viver numa aldeia no cimo de uma montanha. Um dia, essa montanha ganha vida e começa a mexer-se, a aldeia toda fica sem saber o que fazer, e quando dão por eles, já os aldeões estão a fazer uma viagem... Com esta história viajas, conheces uma aldeia diferente, encontras humor, e outras surpresas. Mas como é que vais? Será que é um dinossáurio (que mais parece uma montanha…) que te leva?
Clara Cunha (texto), Paulo Galindro (ilustração), Livros Horizonte (editora)
Imagina uma debandada de animais na selva, de lá para cá e de cá para lá. Começou por ser uma manada de hipopótamos, depois juntaram-se as zebras, entretanto chegaram os elefantes, a seguir as girafas e por fim os rinocerontes. Que estariam eles a fazer? Será que não podiam ficar parados no mesmo lugar? E porquê? Segue-os e descobre...
João Manuel Ribeiro (texto), Anabela Dias (ilustração), Trinta por uma linha (editora)
Poemas para ler a brincar, ou para brincalhar. Uns muito breves, outros muito palavrosos (o que é bom, pois ficas com mais palavras para brincar!); muitos falam de animais (cães, gatos, caracóis…) e outros há que se debruçam sobre coisas tão estranhas como espirrar. Os desenhos, onde um punhado de amoras se pode confundir com um rebanho de ovelhas, são muito ricos e vão ajudar-te a brincalhar para além das palavra.
Francisco Duarte Mangas (texto), Alain Corbel (ilustração), Caminho (editora)
Há uns anos, numa aldeia que «uma sebe de montes abraça», apareceu um ladrão de palavras. Ninguém nunca o viu, mas a verdade é que vagueava com um saco de linho (onde guardava o que roubava) e uma palhinha invisível que aproximava do silêncio para assim tirar aos habitantes da aldeia as suas melhores palavras. Os aldeões sofreram muito, pois perderam não só as palavras luminosas, como a imaginação, a coragem, a alegria e até o sol (metade da aldeia era agora assombrada por uma nuvem escura). Decidiram então unir-se, fazer muito barulho e assim afrontar o medo. Recuperaram as suas palavras perdidas, mas nunca encontraram o ladrão… Seria real?
Álvaro Magalhães (texto), José de Guimarães (ilustração), ASA (editora)
Esta história começa com o Miguel ainda na barriga da mãe, de onde demora a sair. Quando chegamos ao capítulo 2 já ele nasceu, o que não o deixa muito feliz, pois quer voltar para a barriga onde antes vivia, ou em alternativa ir para um sítio quente e fofo como ela (sugerem-lhe que vá até «não sei onde»). É por isso que começa uma grande busca para conseguir o que deseja, e até fala com certo poeta chamado Manuel (é que ele tem um poema sobre a sua filha Ana, que também não queria viver na terra…). Para o ajudar, o poeta aconselha-o a visitar a imaginação, e o Miguel passa a usá-la sempre que pode para visitar todos os sítios que inventa…
7 Portuguese digital (as well as printed!) books for children. Wonderful! Catalivros, a Gulbenkian Project, includes this and much more.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

IASL School Librarianship Award 2011 - Lisboa, 19 Novembro

John Royce, autor do Read2lice.com, e responsável, até há poucos dias, pelo Serviço de Informação e Bibliotecas do Robert College de Istambul (Turquia) recebeu em Lisboa o prémio IASL School Librarianship Award 2011, no passado dia 19 de Novembro, durante a Conferência Anual do ECIS European Council of International Schools, em que participaram muitos professores bibliotecários / bibliotecários escolares, diretores e outros docentes de escolas internacionais de muitos países.
Foi uma surpresa preparada em segredo pela IASL e pela Direção do ECIS, e ocorreu durante a cerimónia habitual de entrega de prémios a projetos e profissionais distinguidos durante o ano, concretizada por Maria José Vitorino, em representação da IASL , da  Direção da Stichting ENSIL (European Network for School Libraries and Information Literacy), da RBE - Portuguese School Libraries Network e da BAD (Secção Informação e Documentação Escolar). Além do diploma e da fundamentação do prémio, John Royce recebeu uma pequena brochura com testemunhos de colegas de todo o mundo. Os aplausos encheram a sala durante largos minutos. Tal como se refere na fundamentação do prémio: "John Royce, who works at Robert College in Istanbul, is a long-serving member of the ECIS Librarians Committee and has served three terms of six years each on the committee. He also served as Regional Director of the North Africa – Middle East region for IASL for six years. John has been awarded the IASL School Librarianship Award for his promotion of school librarianship and professional development in international schools worldwide. In announcing the award, IASL President Diljit Singh noted that John ensured international school librarians worldwide had 24/7 access to support and professional networking through the electronic media. This has been highly appreciated by the library professionals, especially those in the smaller schools."
A foto mostra os sorrisos do premiado, de Jean Vahey (da Direção do ECIS) e de Maria José Vitorino, que afirmou: “É uma honra e um prazer apresentar este Prémio, de grande significado para as bibliotecas escolares de todo o mundo. John Royce, com o seu vasto conhecimento, grande experiência, sentido de humor e elegância, tem sido há longos anos uma referência para todos nós, sempre disponível para a partilha de saber e de recursos, presencialmente ou através da internet.”
O IASL School Librarianship foi criado em 2008, associado ao Mês Internacional das Bibliotecas Escolares, e distinguiu, até agora, 7 profissionais:
IASL School Librarianship Award 2011 -- John Royce (Turquia)
IASL School Librarianship Award 2010 -- Dr Mihaela Banek Zorica (Croácia)
IASL School Librarianship Award 2009 -- Maria José Vitorino (Portugal)
IASL School Librarianship Award 2008 -- Professora Bernadete Campello (Brasil), Dr. Dana Dukic (Hong Kong), Luisa Marquardt (Itália), Jane Viner (Austrália).

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Referenciais TIC para professores competentes


Rede Bibliotecas Escolares: Escolas e ensino/aprendizagem virtuais

VISCED: projeto internacional financiado pela Comissão Europeia que visa proceder a um inventário de iniciativas de ensino/aprendizagem inovadoras suportadas pelas TIC e de escolas e faculdades virtuais em todo o mundo. Pretende também, a partir dos exemplos inventariados, identificar os fatores que conduzem ao sucesso da educação virtual na faixa etária estudada, a dos 14 aos 21 anos. Inclui o perfil de competências desejável para os professores ao nível das TIC, o qual pode ser consultado aqui

Empatia, ingrediente principal nas Bibliotecas Escolares


Esta ideia é desenvolvida com muita assertividade por David Lankes nesta palestra - The Post Recession Library - procurem o minuto 13:00 e oiçam.

Empathy, (makes) the difference between knowledge and understanding.


Com a devida sensatez, este conceito é deveras útil. Não se trata de eliminar os recursos materiais (livros, espaço, equipamentos, etc) mas de os redimensionar à escola daqueles para quem eles devem existir e organizar e daquilo para que trabalhamos.

The Post Recession Library: Why Technology is No Longer a Luxury
SPONSORED BY: Polaris Library Systems, and Library Journal 
Starts: Wednesday, August 17, 2011-2:00-3:00 PM ED

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Diálogos imaginários


Blogue do PNL: Diálogos imaginários:
O Plano Nacional de Leitura ( PNL ), a Rede de Bibliotecas Escolares ( RBE ) e a Associação Promotora do Museu do Neorealismo (APMNR) lançam um concurso dedicado às escolas secundárias e com 3º ciclo. Com o apoio das suas bibliotecas :) e dos seus professores, os alunos criarão diálogos imaginários entre Manuel da Fonseca e Alves Redol, autores que foram próximos em vida e que em 2011 cumpririam cem anos.
Desafio para usar a imaginação e o saber, tal como livremente eles o fizeram, em palavras, imagens, sons, partilháveis pela internet... Ora leiam lá o regulamento, vá, e atrevam-se.

Também podem consultar os Destaques da RBE


terça-feira, 15 de novembro de 2011

Autoavaliar para melhorar a biblioteca escolar (Espanha, 2011)


Muito interessante, para a cultura profissional de quem trabalha nesta área, a recente publicação de (mais) uma ferramenta para autoavaliação de bibliotecas escolares.
Ler mais aqui:
Bibliotecas escolares ¿entre interrogantes? : Herramienta de autoevaluación
Preguntas e indicadores para mejorar la biblioteca? / Inés Miret, Mónica Baró, Teresa Mañá e Inmaculada Vellosillo. Ed. Ministerio de Educación  : Fundación G. S. Ruipèrez2011

sábado, 12 de novembro de 2011

Mais bibliotecas, maior qualidade de vida para mais gente


Bibliotequices: Impacto das bibliotecas na sociedade:
 "How Libraries Stack Up: 2010" é um relatório infográfico da OCLC. Este relatório analisa o impacto das bibliotecas dos EUA a nível social, económico e cultural. O relatório foi publicado em Abril de 2010 mas constitui um bom ponto de partida para relatórios equivalentes noutros países. Destaque especial para o modo como a informação é apresentada.


Ler+: http://bibliotequices.blogspot.com/2011/11/impacto-das-bibliotecas-na-sociedade.html#ixzz1dRjrGSJl
..

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Não, não é tudo uma questão de quadros interativos...

Imagem daqui 

Não podemos cultivar gente que aprende em rede sem pormos a pedagogia à frente das ferramentas.

"We can´t cultivate networked learners without puting pedagogy before tools."

Partilhado do Blog The Unquiet Librarian, da Buffy's Hamilton, através de um comentário publicado aqui, com obras de referência e tudo, a uma apresentação que ela fez na Conferência da AASL (EUA) de 2011. Nela sublinha o caráter essencial de um ambiente de aprendizagem pariticipativo e orientado para a pesquisa e a descoberta, nas atividades educativas que privilegiam a transliteracia.

November 8, 2011 — Bobbi Newman.

sábado, 29 de outubro de 2011

Economist Debates: Personal Computing

Economist Debates: Personal Computing
Vivemos já num tempo post-PC (Computador Pessoal)?
Debate em curso aqui (um bocado centrado na realidade de uma parte do mundo, mas mesmo assim...). Em inglês.

domingo, 16 de outubro de 2011



Album que corresponde à pesquisa por "Portugal", num recurso interessante sobre BD (língua francesa), a BDTHEQUE (parceria com Amazon, serve para comprarmos livros.. mas podemos aceder ao conhecimento sem pagar).
Quem queira saber mais sobre a obra de Cyril Pedrosa, pode ir por aqui ou visitar o seu blogue Open Space.
Aventure-se.

domingo, 9 de outubro de 2011

Escrever para cinema (concurso para maiores de 18 anos)

Em busca do incrível = In search of the incredible
Iniciativa a nível mundial ASUS/INTEL

"Para maiores de 18. Podem submeter histórias para filmes.Cada História Incrível será moderada por um júri que irá decidir se a sua história é adequada. As histórias serão recusadas se ofenderem terceiros. As questões delicadas incluem a crueldade com os animais, a utilização de drogas, a nudez, o racismo, o alcoolismo, o sexo, a política, os menores de 18 anos, a segurança, a violência, o tabagismo ou a utilização de marcas."
"PRÉMIO INCRÍVEL 
PRÉMIO POR PAÍS
Cada país terá um vencedor e nós temos um prémio incrível para cada um desses países: um novo computador portátil N Series da ASUS. Um computador portátil conhecido pelos seus incríveis sistemas áudio e vídeo com a Tecnologia SonicMaster da ASUS, desenvolvido em conjunto com especialistas áudio da Bang & Olufsen ICEpower®, e um processador de 2ª geração Intel® Core™ i5 com um desempenho visivelmente inteligente para uma experiência mais envolvente. Esses vencedores terão depois a oportunidade de posteriormente ganharem este prémio incrível a nível mundial. 
PRÉMIO A NÍVEL MUNDIAL  
O prémio incrível a nível mundial do vencedor será a oportunidade de transformar a sua história incrível num filme de curta duração com uma equipa de profissionais do cinema à sua disposição. O filme será então a parte final da nossa Busca do Incrível e completar a nossa própria série cinematográfica on-line. No fim, os vencedores estarão presentes num dos principais festivais cinematográficos mundiais em Park City, no Utah, onde o filme será exibido num evento exclusivo, com a participação especial de Jason Mraz. Podem trazer um amigo para desfrutar desta incrível experiência, com exibições e festas ao longo do festival nas quais podem estar presentes. Também terão voos de regresso e alojamento gratuitos."


Ler mais aqui
http://www.insearchofincredible.com/pt/

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Uma rede por dia... (10) São João da Madeira



que podemos visionar neste mapa disponível no sítio da RBE



Uma rede por dia... (9) São Brás de Alportel


RCBSBA - Portal aqui

Folheto explicativo da Rede Concelhia de São Brás de Alportel


Uma rede por dia... (8) Moura


Moura Rede de Bibliotecas
1 Biblioteca Municipal + Bibliotecas Escolares de 2 Agrupamentos de Escolas, 1 Escola Secundária e 1 Escola Profissional

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Empréstimo digital em bibliotecas


El préstamo bibliotecario digital


Las bibliotecas universitarias tienen en alguna medida este problema resuelto mediante soluciones propias en forma de catálogo colectivo que proporciona acceso compartido a los recursos científicos generados por sus socios o plataformas comerciales que dan acceso, con una serie de restricciones (de impresión, de visualización o de otra índole), al patrimonio bibliográfico de los catálogos de esas mismas bibliotecas o al catálogo de los editores que hubieran confiado en esa plataforma de transacción y préstamo bibliotecario.
Las bibliotecas públicas deben hacer otro tanto si es que no quieren quedar a la zaga, absortas en una era pretérita. Bibliotecas pioneras, como la Pública de Nueva York, resolvieron ese asunto hace tiempo confiando la gestión de sus activos a una plataforma comercial, la que pasa por ser la más grande y activa del mundo, Over Drive. El revuelo en el patio bibliotecario ha llegado esta semana, sin embargo, con el anuncio largamente cocinado y hace poco anunciado del préstamo promovido por Amazon, la gran librería virtual.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Uma rede por dia... (7) Seia


A sétima rede é do Norte interior: a RBEMS, Rede de Bibliotecas Escolares e Municipais de Seia: quatro agrupamentos de escolas, duas escolas não agrupadas, um Museu, uma livraria municipal, uma biblioteca municipal e um centro de interpretação local.

Uma rede por dia... (6) Palmela



A sexta rede destacada pelo ALFINTE é a Rede Municipal de Bibliotecas Públicas do concelho de Palmela, incluindo acesso aos catálogos disponíveis do Fundo Local das Bibliotecas do Distrito de Setúbal, para além dos catálogos da Rede de Bibliotecas Escolares do concelho de Palmela e da Rede de Bibliotecas do mesmo concelho.

Uma rede por dia... (5) Mafra


Continuando a publicar as redes concelhias de bibliotecas, o ALFINETE tem gosto em apresentar a Rede de Bibliotecas Escolares de Mafra.

domingo, 25 de setembro de 2011

Uma rede por dia... (4) Montalegre


E assim ficamos com as contas em dia: a quarta rede a ser mencionada aqui no ALFINETE fica bem a Norte, quase na Galiza. É a Rede Concelhia de Bibliotecas de Montalegre.

Uma rede por dia... (3) Porto


E continuamos a suprir o atraso. Esta deveria ter sido publicada no dia 24.09.2011.
É a Rede de Bibliotecas do Porto, RBEP, veterana mas sempre animosa, e que mantém ainda um blog (de onde se retirou a imagem acima).

Uma rede por dia... (2) Tavira


Nem sabe o bem que lhe faz (ou lhe faria, se ainda não tem). Por isso, o ALFINETE vai postar um link para uma rede concelhia de bibliotecas por dia.


Hoje, com atraso, pois deveriam ter sido publicada a 23.09.2011, a Rede de Bibliotecas de Tavira, criada este ano.

Dia Mundial do Surdo

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Uma rede por dia... (1) Arganil


Bibliotecas enredadas, país a melhorar.
Uma rede por dia... nem sabe o bem que lhe FAZ! Se ainda não tem, nem sabe o bem que fazia.
O AlFINETE vai procurar postar um link para uma rede concelhia de bibliotecas por dia.
Hoje é Arganil e o seu portal de bibliotecas do concelho

Voltar aos clássicos: Paulo Freire, Ler o mundo...

"Se nossas escolas, desde a mais tenra idade de seus alunos se entregassem ao trabalho de estimular neles o gosto da leitura e o da escrita, gosto que continuasse a ser estimulado durante todo o tempo de sua escolaridade, haveria possivelmente um número bastante menor de pós-graduandos falando de sua insegurança ou de sua incapacidade de escrever.



Se estudar, para nós, não fosse quase sempre um fardo, se ler não fosse uma obrigação amarga a cumprir, se, pelo contrário, estudar e ler fossem fontes de alegria e de prazer, de que resulta também o indispensável conhecimento com que nos movemos melhor no mundo, teríamos índices melhor reveladores da qualidade de nossa educação."


terça-feira, 20 de setembro de 2011

Human Interface



Aos inovadores que ainda não viram: vídeo do coletivo Multitouch Barcelona, "Hi, a real human interface", expressa como o ser humano se comporta neste já comum território em que tudo é online e está conectado, e como ele mesmo se transforma a ponto de fazer parte da inteligência e tecnologia que nos move.

Acompanhando esta evolução, refletimos com Santaella: “essas tecnologias não são tão estranhas a nós como parecem ser. São prolongamentos do nosso corpo e da nossa mente”. (via Ações inovadoras em comunicação digital)


Via Nuria Pons no Facebook, graças ao Grupo E-Learning Gurus de Portugal

Educar para o mundo digital - urge

"No final do século passado, tínhamos algo em torno de 3 a 5% da população mundial conectada. Hoje esse número gira em torno de 30%. Saímos de 3% para 30% em pouco mais de dez anos, e isso é extraordinariamente rápido, certo? Não temos, na história, uma forma de comunicação que tenha se expandido tão rapidamente. Então isso é algo que devemos ter nas nossas mentes, primeiramente. Depois, não adianta pensar que vamos, em três anos, chegar aos 80% da população conectada. Isso é impossível. Precisamos de mais uma, duas ou três gerações para isso. Mas podemos prever que, no meio deste século, teremos mais da metade da população com acesso à web, isso também é fantástico. Então agora, outro ponto: eu sei que estamos numa sociedade em que as pessoas querem tudo imediatamente, mas no mundo real não é assim, e mesmo que fosse, mesmo que tivéssemos hoje internet para todos, se ainda há pessoas que não sabem ler e escrever, elas estariam ainda excluídas. Um dos pontos mais importantes para se falar em benefícios da comunicação é a educação. Todos falam em 'tecnologia para a educação, tecnologia para a educação', mas, na verdade, o que precisa estar em foco é a educação para a tecnologia. Este, sim, é um gap bem mais difícil de ser resolvido. É bem mais caro educar, e educar para o mundo digital, do que oferecer internet para todos." P. Levy, 2011


Câmara Municipal de Alvaiázere

Câmara Municipal de Alvaiázere Campanha de reutilziação dos manuais escolares. Em curso!

sábado, 17 de setembro de 2011

Stephen Krashen

<iframe width="420" height="315" src="http://www.youtube.com/embed/jLcootlU9lc" frameborder="0" allowfullscreen><iframe>



POVERTY versus PRESENCE OF GOOD SCHOOL LIBRARY WITH LARGE COLLECTION OF BOOKS



Challenging...


5 videos para des-estimular o plágio

The teaching librarians here are gearing up for another semester of classes which begin next week. In some of the classes we do, we like to use different sorts of media and technology for teaching. We’ve been looking at videos for several of our classes and I’m always surprised with the interesting videos that other the librarians find. Here are five of my favorite videos for information literacy instruction that I’ve seen over the years.


À atenção dos bibliotecários nas Universidades

Lamentablemente, en algún debate entre profesionales se oyó alguna voz discordante entre las casi unánimes felicitaciones que suscitaba este reconocimiento de los bibliotecarios como formadores. Quien discrepaba de la mayoría parecía hallarse conforme con el viejo cliché anquilosado del bibliotecario “guardián de los libros”, erudito de un conocimiento profesional imprescindible para acceder al conocimiento bibliográfico, y defendía su postura con peregrinos argumentos que confundían la formación con la docencia o exigiendo retribuciones extraordinarias por tareas que entendía exógenas a la responsabilidad del bibliotecario.


Uma rica ideia-blog

Sabe Mais k(que) os teus Pais é um blogue de Palavras Cruzadas. Um sítio para miúdos curiosos e para crescidos que não tenham perdido a curiosidade


domingo, 11 de setembro de 2011

Livros digitais: O futuro?




Os livros digitais estão a ganhar terreno e a começarem a fazer parte do quotidiano das escolas. Em Corrèze, França, iPads foram distribuídos por alunos do sexto ano.
Enquanto nos países desenvolvidos as novas tecnologias entram nas escolas, nos países em desenvolvimento, como a Colômbia, os materiais didáticos mais convencionais são quase inexistentes.
Para mitigar as necessidades nas comunidades rurais surgiu a biblioteca itinerante Biblioburro....
http://pt.euronews.net/

BIBLIOTECAR: MÉDICO PORTUGUÊS NOS EUA DÁ CONSULTAS POR VIDEOCON...

A fazer pensar... na importância do modo como se sabe falar e se pratica esse saber (o médico fala com "simplicidade bonita") e em como tal "competência" é relevante num mundo digital. Delicadeza, um plus 2.0? :)
Bom dia para vós, também!
(notícia valiosa acedida via Angelina Pereira, sempre atenta, a Norte...)

BIBLIOTECAR: MÉDICO PORTUGUÊS NOS EUA DÁ CONSULTAS POR VIDEOCON...: Leio, no jornal Público de hoje, que o médico português Luciano da Silva realiza, duas vezes por mês, uma videoconferência na qual tira dú...

sábado, 10 de setembro de 2011

Profissionais de Bibliotecas: ontem e hoje

SOURCE: Museums, Libraries and 21st Century Skills, 
Inst. of Museum & Library Services, 2009


Ler mais aqui

Formação BAD (contínua)

Ofertas descentralizadas: Norte, Centro, Sul, Açores e Lisboa


bad em directo (TV)

bad em directo (TV)
Um exemplo a imitar. Participar é bom, acolher e motivar a participação dos profissionais é ainda melhor!

Banco de Livros Usados

Iniciativa cidadâ para poupar dinheiro às famílias e praticar a colaboração. Sem burocracia, com democracia. Portugal, 2011


quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Inspiring


8 de Setembro Dia Internacional da Alfabetização / da Literacia





Apesar dos progressos, o analfabetismo continua afligindo milhões de pessoas, especialmente mulheres e meninas. Em 2009, aproximadamente dois terços da população mundial de analfabetos, estimada em 793 milhões de pessoas, eram mulheres. Naquele mesmo ano, 67 milhões de crianças em idade escolar primária e 72 milhões de adolescentes tiveram negado seu direito à educação.
Os custos são enormes.

Ler Mais aqui

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

já catou o seu livro hoje?


Estudos indicam que a utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação cresceu mais do dobro nos últimos cinco anos

"Quanto aos dados sobre utilização de TIC obtidos pelo PISA da OCDE, relativos a 2009, destaca-se que, entre os 25 países da UE na OCDE considerados, Portugal é primeiro no que se refere aos alunos que usam correio electrónico em casa para comunicar com colegas sobre trabalhos escolares (54 por cento), muito acima da média dos 25 países da OCDE considerados (34 por cento).



Esta população afirma conseguir criar uma base de dados com computador muito bem e sem ajuda (46 por cento), muito acima da média (27 por cento); afirma conseguir criar uma apresentação com computador muito bem e sem ajuda (90 por cento), mais 55 por cento do que nove anos antes, e muito acima da média (71 por cento).



Este primeiro lugar verifica-se em ambos os sexos, entre alunos do nível socioeconómico e cultural mais elevado (quartil superior) e entre alunos do nível socioeconómico e cultural mais baixo (quartil inferior)."





De 2002 a 2011, um salto enorme. Eu sei: eu estive lá, nas bibliotecas escolares (com TIC!) desse país de que agora ninguém fala, o do sucesso educativo de tanta gente, que tantos outros fazem de conta ignorar, pelo conforto do discurso simplista da catástrofe. Ou não?


segunda-feira, 5 de setembro de 2011

A sala desconectada

Você poderia dizer que o papel dos professores, na escola, é “dar aulas”. Mas não, não é. O principal papel dos professores, em todos os níveis, é conduzir processos de criação de oportunidades de aprendizado. E isso pode ser feito de muitas formas, entre as quais a aula.

Mas a aula à qual estamos acostumados – normalmente a explanação de um texto conhecido, quando não a repetição pura e simples, na escola, do material que os alunos poderiam ter lido em casa para discutir em sala- já deveria ter sido proibida há décadas.

Silvio Meira
Fundador do www.portodigital.org e cientista-chefe do
www.cesar.org.br

Ler mais aqui:

A sala (de aula) desconectada